HISTÓRIA

Sou mexicano.

Sou mexicano, um mexicano como outros, que ama o seu país, os seus costumes, cultura e, além de tudo, os seus valores.

Um mexicano que propõe e faz, que trabalha arduamente para que os sonhos se transformem em realidade.

Em 2008, estando no Japão, encontrei o GABA (ácido gama-aminobutírico), uma substância natural e benéfica para as funções do cérebro, capaz de incrementar o rendimento mental e a concentração, de acordo com diversos estudos científicos.

Apostando meu capital, e após anos de trabalho sem descanso, desenvolvi um conceito fora de série, sonhando em compartilhá-lo com todo o mundo.

O meu produto GO GABA começou a ser vendido como uma bebida original e diferente, com benefícios a partir dos seus ingredientes, como – por exemplo – reduzir os níveis de estresse e melhorar a concentração mental.

O GO GABA cresceu rapidamente. De 20 pontos de venda passou a ter 2.000. Foi lançado na Holanda e foram realizadas pesquisas e testes de mercado no Reino Unido, França, Alemanha e Suécia. Até mesmo estivemos presentes no “Dia Nacional dos Emirados Árabes Unidos”, acontecimento levado a cabo no México.

Também foi reconhecido pelo Google e pelo Ministério da Economia do México, bem como resultou vencedor perante o Conselho México-França sobre Empreendimento e Inovação. Ao ganhar os prêmios e obter financiamento, realizamos junto com a Ogilvy – uma das agências de maior prestígio do mundo – uma reengenharia do projeto para lançá-lo em âmbito mundial.
Em 2016, o Banco de Investimento do BBVA se entusiasmou com o projeto e concordamos em levantar um capital de USD 28 milhões de dólares  para desenvolver o GO GABA em 50 países, em 5 anos. As projeções refletiam um faturamento acumulado de 357 milhões de dólares em 10 anos.

Como uma das alternativas, o BBVA considerou a possibilidade de apresentar o projeto ao “gigante” mundial dos refrigerantes: The Coca-Cola Company (a Coca-Cola).

Em dezembro de 2017, assinamos um contrato que nos vinculava legalmente com a Coca-Cola. O contrato, entre outras coisas, estabeleceu uma proibição mundial para que a Coca-Cola, suas partes relacionadas, filiadas, funcionários, diretores e, inclusive, seus acionistas, não pudessem concorrer com o GO GABA, de forma direta ou indireta. Este fato, obviamente, me deu certeza e gerou confiança, mesmo quando, na metade das negociações, um dos seus vice-presidentes me propôs assinar o contrato em um guardanapo.

Em janeiro de 2018, começamos a trabalhar de maneira conjunta. A Coca-Cola me disponibilizou uma equipe de executivos altamente qualificados, enquanto que eu contribuiria com o meu conhecimento, visão, direcionamento e experiência, para planejar o lançamento do produto através de um programa piloto.

Tudo caminhou bem até que, em abril de 2018, houve uma reviravolta marcada pela pressão da Coca-Cola para que eu assinasse um novo acordo. Com este contrato, a Coca-Cola pretendia colocar-me em completa desvantagem, eliminando a proibição de não concorrer com o GO GABA, além de outros aspectos que queriam modificar, prejudicando-me de forma abusiva e injusta. Tudo isso aconteceu quando já haviam recebido a informação confidencial e o segredo industrial do GO GABA, durante – pelo menos – quatro meses.

Apenas um mês após a Coca-Cola pretender modificar, sem êxito, o contrato que tínhamos assinado, em maio de 2018 lançou FANTA GABA no Japão. Este procedimento foi uma surpresa muito desagradável!

Hoje está claro que o interesse da Coca-Cola pelo meu conhecimento desta nova categoria de bebidas, e pelo meu produto, se moveu no âmbito de um vil engano. Em um abrir e fechar de olhos, dez anos de trabalho, sacrifício e esforço ficaram à mercê desta empresa de refrigerantes que pretende destroçá-los por completo. A sua má-fé, bem como mentiras e ações posteriores à violação do contrato, afetaram a minha pessoa, e, consequentemente, alguns membros da minha família, colegas de trabalho e amigos. Logicamente, também prejudicaram todas as empresas e instituições públicas e privadas que confiaram e apostaram, com seu trabalho e entusiasmo, pelo sucesso do GO GABA, durante muitos anos.
Procurei várias vezes aproximar-me da Coca-Cola no México, com a intenção de resolver as coisas do melhor modo, pelo caminho do diálogo; contudo, tão somente recebi a proposta de assinar um novo contrato que vigorasse unicamente para o México e, posteriormente, um comunicado desconhecendo a validade do próprio contrato que havíamos negociado e assinado com a ajuda do BBVA.

Tudo isso não me deixou nenhuma outra alternativa que denunciá-los penalmente por fraude e roubo de propriedade industrial. Por outro lado, a Coca-Cola não hesitou em mandar seus altos executivos envolvidos no projeto a diferentes partes do mundo, demandar-me por via civil, e trazer ao México o seu Vice-presidente Sênior de Estratégia Global. A polícia de investigação recebeu instruções oficiais de localizar vários deles, que nunca se apresentaram para declarar, a pesar de terem sido convocados formalmente em duas ocasiões. Os funcionários da Coca-Cola, que faziam parte da equipe de trabalho que me foi designada, sim declararam, mas o fizeram em horários irregulares e vários deles com falsidade. A demanda civil que apresentaram está estruturada a partir de confusão e mentira. Sem dúvida, atitudes, ações e reações que ninguém poderia imaginar em uma empresa mundial dessa dimensão e com uma imagem de “irrepreensível” e “familiar”.

Nunca acreditei que depreciar as realizações de outros, eludir responsabilidades, confundir a sociedade, bem como asfixiar os problemas mediante o engano, sejam a maneira correta de esclarecer e resolver situações. Até hoje, continuo sem entender o modo de agir da Coca-Cola.
Visto isso, procurei entrar em contato com os escritórios centrais da empresa, em Atlanta (Estados Unidos da América); iniciativas que até agora foram tratadas com a mesma arrogância e falta de responsabilidade social.
Sou mexicano…
Um mexicano trabalhador, com princípios e caráter. Um mexicano que defende o seu trabalho e os seus direitos, mas sobretudo um mexicano solidário com a visão do México que todos desejamos. Um México comprometido com um verdadeiro senso de equidade, justiça e oportunidades reais para todos.

José Antonio del Valle Torres